Venezuela denuncia plano de invasão permitida pela OEA

O embaixador venezuelano denunciou que a OEA viola o direito constitucional do país ao tentar impor um Governo ilegal

0
Moncada afirmou que a OEA elabora planos de propaganda nula contra a democracia na Venezuela | Foto: EFE

O representante alternativo na Organização dos Estados Americanos (OEA) e Embaixador da Venezuela na Organização das Nações Unidas (ONU), Samuel Moncada, denunciou nessa terça-feira as declarações feitas em um comunicado do Secretário da OEA, Luis Almagro, em que assegura que a Assembléia Geral e o Conselho permanente da organização rejeitam a suposta presença militar da Rússia em território venezuelano, ações que qualificou como um plano de invasão permitida.

“Trump violará toda a Carta da OEA com
o propósito de fabricar a ficção de uma
‘invasão permitida’ para a Venezuela,
pois seu agente local cumprirá a ignóbil
tarefa de pedir guerra contra o povo
venezuelano”, disse Moncada.

Da mesma forma, denunciou que este anúncio de Almagro é infundado e somente pretende acionar planos intervencionistas e uma intervenção militar na Venezuela. Além de destacar que não competência da OEA reconhecer nenhum Governo do mundo, referindo-se à manifestação de apoio que o secretário estendeu ao representante da oposição venezuelana, Juan Guaidó.

“O Conselho Permanente não tem autoridade para reconhecer Governos, a decisão é um ato de propaganda nulo. Este Conselho nunca teve esse poder e nem tentou impor isso com 18 votos ou maioria simples”, disse Moncada.

Nesse sentido, Moncada disse que o governo que preside Donald Trump ataca os tratados internacionais por exercer de maneira ilegal ações fora de sua jurisdição política e diplomática.

A Venezuela tem sido alvo de ataques à sua soberania por meio de sanções impostas pelos governos dos EUA, Canadá e pelo bloco da União Européia (UE), bem como pela sabotagem repetida ao serviço de eletricidade em todo o território desde o no último dia 7 de março deste ano.

Via TeleSUR

DEIXE UMA RESPOSTA

Envie o comentário
Por favor, coloque seu nome aqui