Observatório da Democracia faz ato nos “100 dias de desconstrução do Brasil”

Composto por sete fundações partidárias, o Observatório assumiu o compromisso com a manutenção da soberania e da democracia brasileira

0
Fundações se uniram para construir um espaço de acompanhamento das medidas propostas pelo atual governo e em defesa da democracia | Foto: Arquivo

Hoje, 10 de abril, o governo de Jair Bolsonaro completa 100 dias. O Observatório da Democracia, composto por sete fundações partidárias que assumiram compromisso com a manutenção da soberania e da democracia brasileira, realiza o ato “100 dias de desconstrução do Brasil”, na Câmara dos Deputados, a partir das 17h, em Brasília, quando apresenta relatório, com análises e dados dos 100 dias de Bolsonaro na presidência do país.

“[Nos primeiros 100 dias]… o governo precisará entregar resultados, para não cair em descrédito com a Nação. Se não houver coisas concretas, pelo menos, é preciso manter a esperança por dias melhores”, afirma o relatório. As fundações analisam a  “Agenda de 100 dias de Governo”, pelas 35 Metas Nacionais Prioritárias, apresentada por Bolsonaro em 23 de janeiro.

A Medida Provisória 870, editada no primeiro dia de governo, já trazia algumas dessas metas e ações prometidas na campanha, como a redução do número de ministérios de 35 para 22, sete a mais do prometido. O relatório destaca as reformas ministeriais e a evidente política de desmonte dos direitos trabalhistas e do meio ambiente ao extinguir o Ministério do Trabalho e colocar o Serviço Florestal Brasileiro sob responsabilidade Ministério da Agricultura, por exemplo.

Sobre as 35 medidas, afirma: “Em sua grande maioria, além de serem irrelevantes estrategicamente, genéricas conceitual e materialmente, não provocam nenhuma interferência no enfrentamento das reais demandas nacionais. A maioria, aliás, já é realizada regularmente”.

Ações com o meio ambiente, a aproximação subserviente com os Estados Unidos e Israel, o afastamento dos países do Mercosul, do Oriente Médio e da China são observadas em suas implicações econômicas tendo em vista o cidadão brasileiro. A análise das implicações da Reforma da Previdência proposta por Bolsonaro e da liberação do uso das armas de fogo são outros dois aspectos destacados.

O ato será no plenário 6 da Câmara dos Deputados, transmitido pelas redes sociais das Fundações. Na Câmara, poderá se acompanhado por telões nos plenários 7 e 8.

Fazem parte do Observatório da Democracia, as seguintes fundações: João Mangabeira (PSB), Lauro Campos e Marielle Franco (PSOL), Claudio Campos (PPL), Leonel Brizola-Alberto Pasqualini (PDT), Mauricio Grabois (PCdoB), Ordem Social (PROS) e Perseu Abramo (PT).

DEIXE UMA RESPOSTA

Envie o comentário
Por favor, coloque seu nome aqui