Campanha por liberdade de Lula é intensificada após encontro nacional em São Paulo

0
Encontro Nacional Lula Livre inicia nova etapa de mobilização no Sindicato dos Metroviários de São Paulo, no bairro do Tatuapé. Foto: Divulgação Campanha Lula Livre.

No ultimo sábado (16), mais de mil lideranças populares e políticas de todo o país se reuniram para repensar estratégias e intensificar pela liberdade do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva, preso desde 7 de abril do ano passado, em um processo marcado por seletividade e inconsistência jurídica. Os eixos discutidos da campanha Lula Livre foram principalmente organização, mobilização, comunicação e cultura. Participaram do encontro nomes como João Pedro Stédile, Guilherme Boulos, Fernando Haddad, Manuela D’Ávila e Celso Amorim

“A luta pela liberdade do Lula tem que ser uma luta
de toda a esquerda brasileira, de todos aqueles que defendem uma democracia no país. Porque democracia não combina com preso político. O Lula é um preso político no Brasil”, defendeu Boulos, que foi candidato presidencial pelo Partido Socialismo e Liberdade
(PSOL) nas últimas eleições.

Um dos objetivos do encontro foi impulsionar os comitês Lula Livre, para organizar atividades nas cidades, bairros, comunidades. “Precisamos refletir sobre a estrutura do Estado brasileiro, sobre a importância de se mobilizar nos municípios pequenos e engrossar o coro de Lula Livre e transformar cada casa, cada diretório municipal, cada sindicato em um comitê Lula Livre. Grandes atos são importantes, mas o Lula livre tem que chegar em cada casa”, analisa, em entrevista ao Brasil de Fato, a presidenta do PT de Goiás, Kátia Maria.

Durante o evento foi lida uma carta de Lula aos participantes, na qual ele agradece os esforços de todos e reforça que a luta por sua liberdade é a luta por democracia, justiça e soberania no país.

Mais do que manifestar indignação com esses fatos, quero dizer a vocês que o tempo está revelando a verdade. Que não podemos perder a esperança de que a verdade vencerá, e ela está do nosso lado. Por isso, peço a cada um e a cada uma que fortaleçam cada vez mais a nossa luta pela democracia e pela justiça. E só vamos alcançar esses objetivos defendendo os direitos do povo e a soberania nacional, porque foi contra estes valores que fizeram o golpe e interferiram na eleição. Foi para entregar nossas riquezas e reverter as conquistas sociais. Que os comitês Lula Livre tenham isso bem claro e atuem cada vez mais na sociedade, nas redes, nas escolas e nas ruas.

As lideranças da campanha também anunciaram a Jornada Mundial Lula Livre, dos dias 7 a 10 de abril, nas principais cidades do Brasil e do mundo, marcando um ano da prisão política do ex-presidente.

DEIXE UMA RESPOSTA

Envie o comentário
Por favor, coloque seu nome aqui